Empreende UFLA promove curso intensivo de empreendedorismo em parceria com o Sebrae

Desbravar o universo do empreendedorismo e promover capacitação para as pessoas que querem começar um novo negócio ou que desejam desenvolver a sua capacidade empreendedora, esse foi o intuito do Curso BootCamp Empreendedorismo em Ação realizado entre os dias 06, 07 e 08 de julho na sede do Centro de Inteligência em Mercados (CIM) na Agência de Inovação do Café (InovaCafé).

Com aulas práticas e vivencias, estudantes que participaram do III Programa Startup CIM da UFLA puderam conhecer conceitos e ferramentas para desenvolverem suas ideias e projetos, contemplando todo o plano de criação até a execução da ideia, para empreenderem de forma inteligente e segura.

O curso ministrado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de Minas Gerais (Sebrae), foi divido em seis módulos e trabalhou o mindset empreendedor; a relação do cliente e mercado; resolução de problemas e apresentação de soluções; prototipagem e mínimo de produto viável; canais, vendas e modelos financeiros e lean canvas, storytelling e pitch.

“A promoção do curso vem reforçar a nossa atuação na universidade, estamos preparando muitas novidades para envolver os estudantes. Em breve um aplicativo será lançado e ele vem reunir todas as ações empreendedoras que são promovidas na universidade, facilitando o acesso dos interessados no assunto, além disso queremos envolver todos os cursos da UFLA, mostrando que temos ideias com grande potencial em diferentes áreas”, explica a coordenadora do Empreende UFLA, Bruna Caroline Souza.

A integrante da equipe vencedora do III Programa Startup CIM, Brizza Reis, acredita que através da participação no curso foi possível motivar ainda mais a equipe da Startup Dvidir, “com a aplicação de ferramentas práticas que proporcionaram um conhecimento maior é possível melhorar ainda mais o nosso modelo de negócio. Continuar em processo de incubação no CIM e ter o auxílio para viabilização do nosso negócio é sensacional”.

Texto e Fotos: Vanessa Trevisan

 

 

 

Difusão de tecnologias celebra o aniversário da InovaCafé

Ambiente que colabora com o desenvolvimento da cafeicultura no país, comemorou no dia 27 de junho, dois anos de atuação

Na lavoura, os participantes conheceram as etapas de desenvolvimento do caféMantendo a tradição e o pioneirismo na área de cafeicultura, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) inaugurou no dia 27 de junho de 2014 a Agência de Inovação do Café (InovaCafé). Vinculada à Pró-Reitoria de Pesquisa e sediada no câmpus da Universidade, a InovaCafé integra em um mesmo espaço físico as iniciativas voltadas ao desenvolvimento de inovações para o setor cafeeiro, por meio da interação de profissionais e estudantes em projetos de ensino, pesquisa e extensão.

Apresentação dos núcleos de estudos parceiros da InovaCaféPara celebrar o seu aniversário de dois anos, a agência juntamente com os núcleos de estudos parceiros elaborou uma programação especial para compartilhar as inovações e tecnologias que são geradas dentro da organização. Cerca de quarenta estudantes dos cursos de Agronomia, Engenharia Agrícola, Engenharia Florestal, Ciências Biológicas, Filosofia, Administração, Engenharia dos Alimentos e alguns cafeicultores, participaram do evento gratuito promovido nesta quinta-feira, 29.

Os participantes tiveram a oportunidade de conhecer a InovaCafé e participaram de minicursos na lavoura sobre: “Processo de Clonagem de Café Arábica por meio de estaquia” com o Núcleo de Estudos em Melhoramento e Clonagem (Nemec), “Implantação da lavoura com o uso de polímero hidrorretentor” com o Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf), “Deriva de herbicidas na cultura do café” com o Grupo de Estudos em Herbicidas, Plantas Daninhas e Alelopatia (Ghpd),  “Colheita semi mecanizada” com o Núcleo de Estudos em Máquinas Agrícolas e Portáteis (Nemaport).

Demonstração de utilização de máquinas no campo.JPGNo anfiteatro foram apresentados os processos de “Pós-Colheita do café” com o Núcleo de Estudos em Pós-Colheita do Café (Pós-Café), “Formas de preparo e padrão da bebida” com o Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumo de Café (QI Café), “Terceira Onda do Café” com o Bureau de Inteligência Competitiva do Café. A programação foi finalizada com aplicação do teste de aceitabilidade de brigadeiro de café promovido pelo QI Café e sorteio de brindes.

“Achei bastante interessante o evento, uma vez que ele foi direcionado para um público que ainda não tem contato com o café, isso que me chamou atenção, pois não tive ainda nenhum contato com a área. Foi muito legal aprender sobre como diferenciar um café especial, analisando o sabor, o aroma e o modo de preparo, para conseguir diferenciar do café que estamos acostumados a beber, que não é tão bom”, explica o estudante do 6º período de Agronomia da UFLA, Alan Eduardo.

O estudante do 8º período de Engenharia de Alimentos da UFLA, Celso Rodrigues, teve o seu primeiro contato com o universo do café e acredita que o movimento caracterizado como a “terceira onda do café” apresenta um grande potencial de mercado e pode ser bastante explorado por diferentes profissionais, sendo uma excelente oportunidade para atuação.

O Cafeicultor e estudante do curso técnico em cafeicultura do Instituto Federal de Muzambinho, William Adriano da Silva, não conhecia a InovaCafé é acredita que a criação da agência foi algo necessário para impulsionar a cafeicultura uma vez que sua localização é estratégica. “Todo o conhecimento adquirido no evento vem enriquecer a minha atuação no campo, o estudo sobre a qualidade do café é algo bem sugestivo, uma tremenda necessidade para o produtor avaliar cada vez mais a qualidade do seu produto”, ressalta Wiliam.

O diretor da agência e professor da UFLA, Luiz Gonzaga de Castro, avaliou o evento de forma positiva e afirma que outras ações como essas serão promovidas afim de disseminar informações sobre a cafeicultura na região, “acreditamos que a melhor forma de comemorar é compartilhando o que temos de melhor, o conhecimento, diante disso apresentamos aos participantes as tecnologias e inovações que foram geradas na universidade e que são aplicadas nas etapas de produção do café”, explica Gonzaga.

AGÊNCIA

A Agência é fruto da articulação do Polo de Excelência do Café, Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais (Sectes), UFLA e Ministério da Educação (MEC), contando com o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). Também contribuem para a atuação da Agência o Consórcio Pesquisa Café e INCT-Café.

Texto e Fotos: Vanessa Trevisan (ASCOM InovaCafé)

 

 

Marketing em pauta: Café é escolhido para explicar conceito de produto para estudantes da UFLA

Barista e Gestora de Inovação em Café na InovaCafé, Helga Andrade, apresenta diferentes embalagens de caféApresentar na prática que aspectos envolvem o desenvolvimento de um conceito de produto, entender a partir da compreensão das necessidades e desejos dos consumidores a criação de um produto, a quem ele atende, que benefícios entrega e em que contexto deve ser utilizado, bem como o processo de preparo da bebida. Esse foi o objetivo da visita de trinta estudantes da disciplina de Marketing oferecida pelo Departamento de Administração e Economia (DAE), que participaram de uma aula prática no Polo de Tecnologia em Qualidade do Café na Agência de Inovação do Café (InovaCafé).

Durante a aula foram apresentadas diferentes formas de preparo da bebida, entre elas três formas de preparo do café espresso: processo realizado na máquina profissional, que é o tipo de café normalmente servido em cafeterias; o processo da máquina automática que é utilizado em escritórios e pequenas empresas; a bebida produzida na máquina de cápsulas, um processo mais utilizado no consumo da bebida em casa. Além desses três processos foi também apresentado aos estudantes o tradicional café filtrado, seguindo todos os parâmetros de qualidade do método.

Estudantes reunidos“Entender os processos de produção do café é fundamental para avaliarmos os segmentos para direcionamento da bebida e qual o tipo de mercado/consumidor que podemos atingir”, explica o estudante do 8º período do curso de Agronomia, Vinicius Henrique Bizinotto.

A instrutora credenciada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) do Curso de Barista e Gestora de Inovação em Café na InovaCafé, Helga Andrade, ministrou a aula e discutiu com os estudantes sobre como seria agregado valor a cada forma de preparo e analisou qual público estaria disposto a pagar por cada produto. “Abordamos também questões relacionadas a qualidade do grão, o valor agregado por uma embalagem diferenciada, que nem sempre reflete o produto, mas que atende a uma necessidade, como por exemplo o café embalado a vácuo, o qual mantém as características por mais tempo que uma embalagem comum”, explica Helga.

“A aula me surpreendeu porque eu nunca imaginei que é preciso realizar vários processos para se fazer um café de qualidade. Agora vou selecionar o melhor café no supermercado, mesmo sendo difícil encontrar o produto nas prateleiras, agora eu tenho noção de como escolher a bebida certa, buscando sempre analisar a procedência e certificações.  Como eu bebo café todos os dias, isso vai mudar a minha experiência com o produto” ressalta a estudante do 4º período de Engenharia Química, Camila Garcia Santos Ruas.

DISCIPLINA

Ministrada pelo professor Luiz Henrique de Barros Vilas Boas, a disciplina de marketing é oferecida semestralmente para alunos de graduação de diversos cursos da UFLA, sendo disponibilizadas 40 vagas. A disciplina objetiva desenvolver, junto aos alunos, um entendimento sobre os conceitos e aplicações de Marketing a fim de contribuir com a sua formação e atuação profissional.

Texto e Fotos: Vanessa Trevisan (ASCOM InovaCafé)

 

 

 

Empreende UFLA conclui 3ª edição do Programa Startup

IMG_5449
Equipe do III Programa Startup CIM

Contribuindo com a difusão de conhecimentos sobre inovação e empreendedorismo na UFLA, o Centro de Inteligência em Mercados (CIM) realizou, no dia 23, o encerramento do III Programa Startup CIM. Durante um mês os estudantes se reuniram para brainstorming e formação de equipes e entre 19 ideias elencadas, 5 foram escolhidas para desenvolvimento das startups.

Na final, os estudantes de graduação e pós-graduação de dozes diferentes cursos da UFLA apresentaram pitchs de 3 minutos sobre as suas startups. A banca composta pelo assessor de inovação e empreendedorismo da UFLA e coordenador do CIM, Luiz Gonzaga de Castro Junior, Pró-reitor de Extensão e Cultura, João José Marques, Diretor de Operações da Verde Campo, Arlindo Curzi, Diretor da Compartilhe e Jeito Caseiro, Antônio Alberto Júnior e pela Empreendedora e Consultora da Coca-Cola, Priscila Hipólito, avaliou as melhores ideias e o potencial de negócio de cada proposta.

IDEIAS VENCEDORAS

IMG_5437
Equipe vencedora “Startup Dvidir” com a banca avaliadora

A startup Dvidir foi a vencedora dessa edição apresentando a proposta de um aplicativo voltado para o gerenciamento de repúblicas, que vai permitir que os usuários que moram juntos ou sozinhos, organizem suas tarefas e despesas da casa, ajudando a dividir e contabilizar os gastos automaticamente. A premiação para os integrantes é a participação no evento Hack Town no município de Santa Rita do Sapucaí (MG), nos dias 02, 03 e 04 de setembro. A ideia também poderá continuar crescendo em um processo de incubação no CIM.

Com a proposta de tornar mais prática a vida de pessoas que queiram ter uma alimentação saudável, pensando na economia e bem-estar, a startup Coma Bem ficou em segundo lugar no processo, com a proposta de disponibilizar aos seus clientes opções de cultivo de alimentos orgânicos em caixas modulares em suas próprias casas, com a entrega da planta já produzindo o alimento e em terceiro lugar ficou a startup Cofao, com uma proposta sustentável propondo a coleta de borras de café em cafeterias, padarias, lanchonetes e indústrias de café solúvel e transformando o produto em óleo essencial para reutilização.

As outras duas ideias apresentadas na final foram a AbilService, uma plataforma online que permite solicitar serviços de modo simples e confiável, oferecendo contato com vários profissionais cadastrados, entre eles chaveiros, faxineiras, eletricistas, encanadores e etc e que tem como o objetivo levar facilidade tanto para o profissional que presta o serviço quanto para o cliente que o solicita, simplificando o atendimento e a contratação, com base na intermediação da relação cliente/profissional e a Agrotime uma plataforma virtual que reúne informações viáveis e preços acessíveis de maquinário, produtos e serviços para a agropecuária.
PRÓXIMAS EDIÇÕES

Promovida pelo Empreende UFLA, iniciativa que vem fornecer capacitação e fomentar o empreendedorismo na Universidade, a próxima edição do Programa Startup CIM será realizada no próximo semestre letivo, e os estudantes que tiverem interesse em participar do processo seletivo podem acompanhar o lançamento de novidades através da página do CIM no Facebook.

Texto e Fotos: Vanessa Trevisan (ASCOM InovaCafé)

InovaCafé comemora aniversário promovendo minicursos para a comunidade

2 ANOSNa próxima segunda-feira, 27, a Agência de Inovação do Café comemora 2 anos de atuação e para celebrar essa data a agência elaborou uma programação comemorativa com minicursos gratuitos que serão oferecidos na próxima quarta-feira, 29, na sede da agência.

Serão disponibilizadas 40 vagas gratuitas e os inscritos terão um dia especial com apresentação da agência, visita ao Cafezal, participação em sete minicursos e do teste de aceitabilidade de Brigadeiro de Café. As inscrições serão realizadas apenas presencialmente na Secretaria Geral da agência, a partir dessa terça-feira (21) em horário comercial, a participação é aberta para estudantes, professores, colaboradores da UFLA e toda comunidade de Lavras e região.

“A nossa intenção é compartilhar o conhecimento que vem sendo gerado dentro da agência com toda a comunidade que tenha interesse em café, mas que não tem a oportunidade de participar de cursos práticos e teóricos”, explica o diretor da agência e professor da UFLA, Luiz Gonzaga de Castro Junior.

O evento está sendo realizado em parceria com os núcleos de estudos que contribuem com a agência: Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf), Grupo de Estudos em Herbicidas, Plantas Daninhas e Alelopatia (Ghpd); Núcleo de Estudos em Melhoramento e Clonagem (Nemec); Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumos de Café (QI Café), Núcleo de Estudos em Pós-Colheita do Café (Pós-Café), Núcleo de Estudos em Máquinas Agrícolas e Portáteis (Nemaport) e Bureau de Inteligência Competitiva do Café.

Vanessa Trevisan (ASCOM InovaCafé)

InovaCafé e UFLA contribuíram com a difusão de tecnologias na EXPOCAFÉ 2016

Idealizadora e apoiadora do evento, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) foi representada na 19ª edição da Expocafé pela Agência de Inovação do Café (InovaCafé), a qual reuniu estudantes de diferentes núcleos de estudos que tem como objeto de pesquisa o café, para trabalhar com a difusão de tecnologias desenvolvidas na Universidade.

Na cerimônia de abertura do evento, que foi realizada no dia 08 de junho, a UFLA através do Núcleo de Estudo em Cafeicultura (Necaf) e Núcleo de Estudos em Melhoramento e Clonagem (Nemec) lançou a “Clonagem de Café Arábica por meio de estaquia”. A tecnologia que contou com o apoio da InovaCafé para seu desenvolvimento, oferece ao produtor maior produtividade com produção antecipada com o uso do procedimento e maior uniformidade em sua lavoura.

“O cafeicultor pode ter acesso a essa tecnologia através da InovaCafé, onde serão disponibilizadas as mudas e o treinamento para execução do procedimento. Como resultado efetivo ele terá a produção antecipada de um ano em sua safra, e terá como grande benefício um maior lucro nos primeiros anos, onde ele poderá arcar com o custo que terá para implantação da tecnologia na lavoura”, explica o Coordenador Geral do Nemec, graduando em Agronomia pela UFLA, Leonardo Luiz Oliveira.

MINICURSOS

Em parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) foram ministrados doze minicursos com temas voltados para a cafeicultura, onde estudantes que participam dos núcleos de estudos: Necaf, Nemec, Grupo de Estudos em Herbicidas, Plantas Daninhas e Alelopatia (GHPD); Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumos de Café (QI Café), Núcleo de Estudos em Pós-Colheita do Café (Pós-Café), Núcleo de Estudos em Máquinas Agrícolas e Portáteis (Nemaport), Bureau de Inteligência Competitiva do Café e a Gestora em Inovação do Café e Barista da InovaCafé, Helga Andrade, foram responsáveis por uma ampla programação durante os três dias de evento.

A advogada e idealizadora da Coffee and Joy, Débora Azevedo Reis esteve na Expocafé em busca de conhecimento, a mesma vem desenvolvendo um projeto para vendas de cafés especiais online, e explica “o curso sobre os fatores que interferem na extração do café foi bastante produtivo, onde eu consegui absorver conhecimentos sobre a pós-colheita, como você torra do café, a moagem ideal e como esses fatores podem influenciar na hora de você preparar a bebida perfeita”. Ela complementa que com a participação no minicurso sobre “Cafés naturais no Brasil: potencial no mercado de especiais”, conseguiu ter noção sobre o que oconsumidor de cafés especiais procura no produto que ele está comprando e quais os tipos de café que a empresa precisa oferecer.

Os estudantes que movimentaram o estande da InovaCafé/UFLA prestaram atendimentos aos produtores e na fazenda experimental apresentaram dinâmicas de campo sobre a implantação da lavoura com o uso do polímero hidrorretentor e o uso de açúcar na recuperação de cafeeiro intoxicada por herbicidas.

Uma das grandes procuras dos cafeicultores no estande foi por novas cultivares desenvolvidas para melhorar a qualidade do café e também sobre formas de manejo de terreiro adequadas para a secagem do café para que não haja interferência na qualidade, “principalmente nesse ano atípico, onde estamos tendo colheita acompanhada de chuva, temos café no terreiro e na planta para colher, muitas dúvidas foram relacionadas sobre quais as medidas a serem adotadas na colheita, pós-colheita e secagem do café com a água”, explica o diretor de finanças do QI Café e mestre em Agronomia da UFLA, Denis Henrique Silva Nadaleti.

Apresentando suas publicações recentes, a Editora UFLA também marcou presença no estande e registrou grande movimentação e volume de vendas. Os títulos sobre Pós-Colheita do Café, Semiologia do Cafeeiro, Planejamento e Gestão da Propriedade Cafeeira, Cafeicultura de Precisão e Café na UFLA: resgate histórico tiveram uma grande procura dos visitantes.

Texto e fotos: Vanessa Trevisan (Ascom InovaCafé)

Pesquisa analisa técnica de miniestaquia na formação de mudas clonais de Café Arábica

Experimento conduzido na casa de vegetação da InovaCafé para avaliar a viabilidade do processo de miniestaquia na formação de mudas clonais de Café Arábica
Experimento conduzido na casa de vegetação da InovaCafé para avaliar a viabilidade do processo de miniestaquia na formação de mudas clonais de Café Arábica

Com o objetivo de avaliar a viabilidade técnica do uso de miniestacas na produção de mudas clonais de Coffea arabica e estudar as relações entre os caracteres da parte aérea e do sistema radicular de mudas obtidas por enraizamento de estacas e miniestacas, o doutorando do Programa de Pós-Graduação em Agronomia/Fitotecnia da UFLA, Tiago Teruel Rezende, apresentou sua pesquisa que vem contribuir com o melhoramento genético do cafeeiro.

Transformado em dois artigos científicos: “Propagação Vegetativa do Cafeeiro por Miniestacas” e “Relações entre os caracteres da parte aérea e do sistema radicular em mudas clonais de cafeeiros obtidas por estacas e miniestacas”, o estudo buscou obter informações que possam permitir o estabelecimento de procedimentos que melhorem a eficiência do processo e a qualidade das mudas clonais, desta forma, a pesquisa constatou que “as práticas culturais de manejo que evitam a queda de folhas, principalmente das “folhas remanescentes” (aquelas que já estavam presentes no início do processo de enraizamento das miniestacas), e que propiciam um ambiente adequado para o crescimento do sistema radicular devem ser adotadas, a fim de produzir mudas clonais de cafeeiros com boas características” explica Teruel.

A execução do melhoramento genético do cafeeiro apresenta expressivas mudanças na história da cafeicultura do país e colabora com os avanços da atividade em diversas regiões produtoras em todo o mundo. A introdução de métodos biotecnológicos, como a clonagem de plantas por estaquia pode ser útil e favorecer o desenvolvimento de novas cultivares em um curto período de tempo, pois, permite a seleção e a multiplicação de plantas em qualquer etapa de melhoramento, tais avanços têm gerado conhecimentos básicos, fundamentais à constante evolução da ciência, além da disponibilização de novas cultivares para o uso imediato dos cafeicultores.

Fonte: Vanessa Trevisan (Ascom InovaCafé)