InovaCafé e Epamig promovem minicursos juntos na EXPOCAFÉ 2016

Será realizada nos dias 8, 9 e 10 de junho a 19ª edição da Expocafé, a feira acontece no Campo Experimental da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) no município de Três Pontas (MG). Participam desta edição mais de 130 empresas que irão apresentar tecnologias, como  maquinário em geral, secadores, tratores, roçadeiras, adubadeiras, plantadeiras, podadeiras, derriçadeiras, além de softwares e serviços para o setor. O evento deve movimentar mais de R$ 200 milhões de reais em negócios gerados e prospectados, com expectativa de público de cerca de 20 mil visitantes.

Parceiras de longo data, a Epamig e Agência de Inovação do Café (InovaCafé) vão apresentar doze palestras e minicursos ministrados por profissionais e estudantes da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e pesquisadores da Epamig no pavilhão tecnológico da Expocafé.

Com temas voltados para a cafeicultura, estudantes que participam dos núcleos de estudos: Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf), Grupo de Estudos em Herbicidas, Plantas Daninhas e Alelopatia (GHPD); Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumos de Café (QI Café), Núcleo de Estudos em Pós-Colheita do Café (Pós-Café), Núcleo de Estudos em Máquinas Agrícolas e Portáteis (Nemaport), Bureau de Inteligência Competitiva do Café e a Gestora em Inovação do Café e Barista da InovaCafé, Helga Andrade, serão responsáveis por uma ampla programação de palestras durante os três dias de evento.

Além disso, os cafeicultores terão a oportunidade de participar de duas dinâmicas de campo sobre a implantação da lavoura com o uso do polímero hidrorretentor e o uso de açúcar na recuperação de cafeeiro intoxicada por herbicidas, ambas serão oferecidas nos dias 8 e 9 de junho. As inscrições para os minicursos e dinâmica de campo são gratuitas e devem ser feitas no local do evento.

SIMPÓSIO DE MECANIZAÇÃO

No dia 7 de junho, a programação da feira terá início com o 7º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira, na Tenda de Eventos da Expocafé. O evento, que reúne pesquisadores, professores, técnicos, produtores e estudantes, terá como tema desta edição “Manejo para a cafeicultura de precisão”.

Serão oito palestras com assuntos relacionados à gestão da informação do campo, potencial das novas cultivares de café, manejo mecanizado e sustentável da lavoura de café, além de inovações em colheita mecanizada. As inscrições para o 7º Simpósio de Mecanização da Lavoura Cafeeira serão feitas no local e custam R$ 100 para profissionais e R$ 50 para estudantes (com apresentação da carteira).  Informações: (35) 3829-1194.

Confira a programação das palestras e visite o estande da InovaCafé/UFLA:

Layout para site

Texto: Ascom InovaCafé com informações Epamig.

Anúncios

Confira a segunda edição do ano da Revista Coffee Science

Reunindo resultados de pesquisas de diversas instituições brasileiras, a Revista Coffee Science lança a sua segunda edição de 2016

Leitor pode acessar a versão online, ou solicitar a versão impressa da revista
Leitor pode acessar a versão online, ou solicitar a versão impressa da revista

Com periodicidade trimestral, a única revista brasileira especializada em cafeicultura, acaba de lançar o seu volume 11, número 2/2016. A publicação vinculada à Universidade Federal de Lavras (UFLA) e ao Consórcio Pesquisa Café foi criada por pesquisadores do Consórcio Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento do Café-CBP&D/Café.

Atualmente a revista é indexada na Agrobase/Binagri, Agris/Caris, Biblioteca Nacional, IBICT/SEER, CAB Abstracts (CABI –Commonwealth Agricultural Bureaux International), Latindex (Regional System of on-line Information for Scientific Publication of Latin America, Caribean, Spain and Portugal), Periódica (Índice de Revistas Latino Americanas em Ciências), Scopus-Elsevier e DOAJ (Directory of Open Access Journals).

TEMAS

Confira os quinze temas apresentados nesta edição:

  • Efeito da luminosidade e da temperatura no patossistema Cercospors coffeicola e Cafeeiro;
  • Adaptation of technique for rearing of the coffee berry borer [Hypothenemus hampei (Ferrari);
  • Correlação da Força de Desprendimento dos Frutos em Cafeeiros sob Diferentes Condições Nutricionais;
  • Qualidade física do solo sob café conilon consorciado e em monocultivo;
  • Uso de extensores flexíveis na derriça em lavouras de café primeira safra;
  • Geoestatística e análise fatorial exploratória para representação espacial de atributos químicos do solo, na cafeicultura;
  • Tabela de vida de Planococcus citri (Risso) e Planococcus minor (Maskell) (Hemiptera: Pseudococcidae) em cafeeiros;
  • Modelagem agrometeorológica para a previsão de produtividade de cafeeiros na região sul do estado de Minas Gerais;
  • Granulometria e torrefação na sorção de água em café conilon durante o armazenamento;
  • Marcas versus as denominações de cultivares presentes, em duas indicações geográficas brasileiras para café;
  • Seleção de progênies de cafeeiros do grupo catucaí;
  • Níveis tóxicos de ferro em lavouras de café conilon (Coffea canephora L.) em solos de tabuleiros costeiros;
  • Deposição de calda promovida por pulverizadores empregados na cafeicultura de montanha;
  • Teores de diterpenos em bebidas de café espresso preparadas com cápsulas comerciais;
  • Diversidade de microrganismos em frutos do cafeeiro cultivado na proximidade do Lago de Furnas.

SUBMISSÃO DOS TRABALHOS

A submissão de artigos originais e inéditos pode ser feita de forma contínua pelo site http://www.coffeescience.ufla.br, mesmo endereço em que estão disponíveis todas as edições anteriores. A versão impressa da revista tem tiragem de 500 exemplares, distribuídos para bibliotecas, universidades e instituições de pesquisa de todo o País e do exterior.

EQUIPE

A revista conta com equipe editorial composta pelo Editor-Chefe, Flávio Meira Borém, Universidade Federal de Lavras (UFLA), Editores-Executivos, Antônio Nazareno Guimarães Mendes (UFLA), Helena Maria Ramos Alves, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Luiz Gonzaga de Castro Júnior (UFLA), Marcelo Ribeiro Malta Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Rubens José Guimarães (UFLA), Samuel Pereira de Carvalho (UFLA) e tem como secretária, Renata Kelly Silva Rezende.

Texto e foto: Vanessa Trevisan (ASCOM InovaCafé)

“Programas de Sustentabilidade da Indústria” é destaque em relatório sobre tendências do café produzido na UFLA

relatório bureauA edição de abril (v.5 n.3) do Relatório Internacional de Tendências do Café produzido pelo Bureau de Inteligência Competitiva do Café, projeto do Centro de Inteligência em Mercados da UFLA, apresenta como destaques os programas de sustentabilidade da indústria, o acordo entre o Grupo 3corações e a Cia. Iguaçu e o crescimento das cafeterias móveis. O relatório que apresenta tendências relacionadas as áreas de produção, indústria, cafeterias e insights sobre cafeicultura possui o apoio da Agência de Inovação do Café (InovaCafé), Polo de Excelência do Café, Consórcio Pesquisa Café e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café (INCT Café).

Para o coordenador do Bureau, Eduardo Cesar Silva, o destaque da seção de produção é a análise sobre o papel das empresas de torrefação na promoção da sustentabilidade do setor. Ele explica que nos últimos anos foram criados vários programas, com investimentos milionários, que treinam os cafeicultores de regiões pobres para serem mais produtivos e utilizarem técnicas modernas e sustentáveis de manejo da lavoura. Segundo ele, “a sociedade civil está cada vez mais preocupada com a produção sustentável de alimentos, o que leva as empresas do setor a buscarem novas estratégias”.

Já na seção de indústria, a analista do setor e discente da UFLA, Asca Gusmão, fala sobre a nova aquisição do Grupo 3corações como a continuidade de uma tendência iniciada na década de 1990, quando empresas multinacionais começaram a comprar torrefadoras brasileiras. “Com essa aquisição a empresa, que já é líder no mercado de café torrado e moído, passa também a ter uma posição forte no segmento de café solúvel e poderá exportar esse produto”, complementou.

No setor de cafeterias, um dos destaques é o lançamento de um novo modelo de “cafeteria móvel”, a Wheelys 4. Trata-se de uma bicicleta adaptada para ser uma pequena cafeteria. Elisa Guimarães, coordenadora da área de cafeterias do Bureau e doutoranda pela UFLA, explica que as cafeterias móveis são uma oportunidade para pequenos e médios empreendedores e se diferenciam das lojas tradicionais pela possibilidade de estarem em diferentes locais e eventos. “A Wheelys 4 ainda possui outro diferencial, que é seu design voltado para a sustentabilidade. Cada unidade é capaz de gerar sua própria energia limpa e o café comercializado é 100% orgânico”, explicou.

Para o Coordenador do Centro de Inteligência em Mercados e diretor da InovaCafé, professor Luiz Gonzaga de Castro Junior, o Bureau fornece informações relevantes para o planejamento de todos os elos da cadeia produtiva do café. “O relatório apresenta informações e análises sobre ameaças e oportunidades para a cafeicultura brasileira, o que pode orientar as decisões do setor cafeeiro nacional”, afirmou.

Confira o Relatório, clique aqui!

Texto: Vanessa Trevisan (ASCOM InovaCafé)

Estudantes da Unincor participam de palestras na InovaCafé

Este slideshow necessita de JavaScript.

Na última sexta-feira, (06), estudantes do terceiro período do curso de nutrição da Universidade Vale do Rio Verde (Unincor), unidade Três Corações (MG), foram recebidos pelos integrantes do Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumo de Café (QI Café) e participaram de palestras oferecidas pelo núcleo na Agência de Inovação do Café (InovaCafé).

Os estudantes participaram de palestras sobre “Café x Saúde: mitos e verdades e desenvolvimento de novos produtos à base de café”, ministrada pela nutricionista e mestre em ciências dos alimentos da Universidade Federal de Lavras (UFLA), Maísa Mancini, “Ondas de consumo e métodos de preparo da bebida”, ministrada pela estudante do curso de ciências dos alimentos, Fabiana Carvalho e participaram de aulas práticas sobre  “Classificação física dos grãos e degustação de café” com o coordenador do QI Café e estudante do curso de agronomia, Renato Prado.

Com o intuito de firmar parcerias semestrais, o núcleo já recebeu no semestre passado estudantes do curso de agronomia da Unincor e pretende seguir com o cronograma de visitas apresentando palestras diferentes sobre café para os dois públicos-alvo. “Toda experiência passada para os alunos é bem-vinda, normalmente na universidade eles não teriam esse contato tão próximo com o universo do café. A aproximação com o produto pode despertar curiosidade para que esses alunos se tornem pesquisadores, degustadores, abrindo uma nova área de atuação profissional” explica Renato.

Professora e coordenadora do curso de nutrição da Unincor, Carina Nagata, é mestre e doutora pelo departamento de ciência dos alimentos da UFLA, e leciona a disciplina de bromatologia, o estudo da ciência dos alimentos, ela explica que buscou a parceria com a instituição para agregar conhecimento e mostrar que a ciência dos alimentos é abrangente, “podemos ir além da teoria e mostramos o quanto é rico esse campo, eles podem vislumbrar novas áreas de atuação ao participarem do curso”.

Vera Maria Carvalho Auad, estudante do terceiro período do curso de nutrição, teve contato pela primeira vez com o universo do café, para ela, entender os tipos de preparo da bebida e as formas de degustação foi algo único, uma vez que esses elementos influenciam diretamente no sabor da bebida.

InovaCafé recebe reunião da Aliança Internacional das Mulheres

Na última quarta-feira (4), a Agência de Inovação do Café (InovaCafé) recebeu o primeiro encontro de pesquisadoras da Aliança Internacional das Mulheres do Café (IWCA), Região Sul de Minas, que contou com a participação de profissionais da InovaCafé, do Departamento de Administração e Economia da UFLA, além de representantes da EPAMIG, EMBRAPA, Universidade Federal de Viçosa e Instituto Federal do Sudeste de Minas.

A reunião teve como objetivo apresentar às pesquisadoras do Sul de Minas a proposta de construção colaborativa de um livro sobre a participação feminina no sistema agroindustrial do café no Brasil. A proposta de confecção do livro, sob coordenação da EMBRAPA Café, responde a uma demanda crescente por informações sobre as mulheres inseridas no universo do café.

“A percepção no exterior sobre nossa cafeicultura é muitas vezes equivocada. Inclusive, documentos afirmam que no Brasil as mulheres fazem pouco na roça e na colheita em função do alto grau de mecanização e oferta de empregos em outros setores.”, relata Josiane Cotrim, brasileira que compõe a Diretoria de Relacionamento com os Capítulos Nacionais da IWCA ao redor do mundo. “Quem conhece nossa cafeicultura sabe que não é bem assim. E nós da IWCA Brasil estamos empenhadas em mostrar nossa realidade, a nossa diversidade. Nossa cafeicultura também é familiar, é de pequenos, é manual e é de montanha”, completa.

A professora do Instituto Federal do Sudeste de Minas e membro da IWCA Brasil, Danielle Baliza, aproveitou a oportunidade para estender o convite as profissionais de entidades de ensino e pesquisa a participarem da criação do livro, uma vez que o mesmo pretende dar maior visibilidade do papel da mulher em todo o sistema agroindustrial do café. O formato e conteúdo do livro estão sendo definidos coletivamente.

Na InovaCafé, a mobilização de professoras, pesquisadoras e estudantes já colhe frutos. “A presença e contribuição feminina na universidade é forte, e aqui na InovaCafé não é diferente. Muitas de nossas colegas já demonstraram interesse em participar mais ativamente de ações em favor das mulheres do café. Nosso desafio é continuar conectadas e nos apoiando mutuamente”, observa Helga Andrade, Gestora de Inovação em Café e Conselheira da IWCA Brasil.

Outras reuniões semelhantes serão realizadas nas demais regiões produtoras de café. Entidades e mulheres de todo o país podem solicitar mais informações sobre o projeto e contribuir com sugestões através do e-mail: pesquisa@iwcabrasil.com.br.

 

 

 

Cafeicultores participam do XVIII Encontro Sul Mineiro na UFLA

Em sua 18ª edição, o Encontro Sul Mineiro de Cafeicultores reuniu produtores, estudantes, pesquisadores e docentes na Agência de Inovação do Café (InovaCafé) para apresentar dinâmicas de campo sobre o uso do polímero hidrorretentor no plantio do cafeeiro, inovações em pós colheita do café, sistemas de café sustentável, apresentação de cultivares, manejo nutricional do cafeeiro, inovações tecnológicas na cafeicultura.

O evento é organizado pela Universidade Federal de Lavras (UFLA), Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e contou com o apoio da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Prefeitura Municipal de Lavras, InovaCafé, Consórcio Pesquisa Café, Polo de Excelência do Café e Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café (INCT Café).

TRADIÇÃO E APOIO A CAFEICULTURA

“Parece que foi ontem que iniciamos esse projeto, em setembro de 1995 quando em um esforço conjunto entre a EMATER, EPAMIG, UFLA e outros órgãos apoiadores, nós iniciamos o primeiro encontro sul mineiro de cafeicultores. Já naquela época com grande número de participantes mostrava que essa era uma ação certeira, de extrema necessidade para o setor. Devido ao grande crescimento do evento, tivemos a expansão e ampliação da iniciativa para outros municípios com a criação no ano de 2000 do Circuito Mineiro de Cafeicultura”, explica o professor titular da UFLA e tutor do Necaf, Rubens José Guimarães.

O senhor Joaquim Bani, do município de Carmo da Cachoeira (MG), participa pelo quinto ano consecutivo do evento, e relata que a cada edição o encontro está cada vez melhor, apresentando inovações e tecnologias que vem somar com a cafeicultura.

Durante a abertura do evento, o diretor da InovaCafé, professor Luiz Gonzaga de Castro Júnior, reforçou que a agência é um ambiente voltado para os cafeicultores, onde são realizados diversos trabalhas que contemplam vários aspectos da cadeia do café.

O Gerente Regional da Emater-MG, Marcos Fabri Júnior, enfatizou que o evento vem fortalecer a parceria entre a iniciativa pública e privada, que vem contribuir e colaborar com o desenvolvimento da comunidade cafeeira. Ele também falou sobre a importância da cadeia de valor do café, “antigamente falávamos em cadeia produtiva do café, hoje falamos sobre a cadeia de valor do café, porque mais do que produzir, precisamos ter valor, do nosso produto, do nosso suor de cada dia, do nosso pão, e valor naquilo que o agricultor familiar faz, que é produzir com qualidade, dignidade, produzir para alimentar do brasileiro e ainda exportar o restante da nossa produção. Mais de 70% do que está na mesa do brasileiro vem da agricultura familiar, parabenizamos vocês pelo trabalho, e nos colocamos a disposição para ser a ponte entre a necessidade de vocês e as organizações que podem promover pesquisas e soluções para as suas demandas”.

O chefe do setor de cafeicultura da UFLA, professor Virgílio Anastácio da Silva, falou sobre a importância da Universidade compartilhar informações diretas com os cafeicultores, “não adianta a universidade desenvolver pesquisas para elas ficarem nas prateleiras, não adianta ter os melhores resultados de pesquisas e não compartilhar com vocês produtores, as portas estão sempre abertas para que vocês dialoguem com a nossa equipe, vamos elevar a cafeicultura a um nível mais alto, não apenas em produtividade e qualidade, mas também em valorização do nosso produto”.

Filha de produtores da agricultura familiar do município de Coqueiral (MG), Francielle de Paula Carvalho, participou pela segunda vez do evento e pretende seguir carreira na área, com formação técnica em cafeicultura, ela comenta: “assistir as palestras e visitar os estandes é uma experiência enriquecedora, venho representando o meu pai e posso ter acesso as novas máquinas que estão no mercado, fico atenta as novas tecnologias que vem sendo aplicadas na lavoura”. Francielle informou que o resultado da participação no encontro no ano de 2015, foi o conhecimento do hidrogel (um polímero hidroretentor que vira gel quando misturado na água), o produto que foi utilizado na horta da família vem apresentando resultados satisfatórios.

 

InovaCafé recebe visita de pesquisadores do Instituto Federal do Espírito Santo

IMG_2441

A Agência de Inovação do Café (InovaCafé) da Universidade Federal de Lavras (UFLA) recebeu a visita de uma comitiva do Instituto Federal do Espírito Santo do câmpus Venda Nova do Imigrante (ES). Conduzidos pela professora titular da UFLA, coordenadora do Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumo de Café (QICafé) e responsável pelo Polo de Tecnologia em Qualidade do Café, Rosemary Gualberto, a equipe conheceu a estrutura da agência e projetos que vem sendo desenvolvidos na área de pós-colheita e qualidade do café.

“O projeto de criação dos institutos federais requer que o câmpus atenda o arranjo produtivo local, e o arranjo do município de Venda Nova do Imigrante e região está ligado a agroindústria e administração”, explica o diretor do câmpus, Aloísio Carnielli. O direto disse ainda que o professor Lucas Louzada, veio com o perfil de atuação nessa área e propôs um desempenho nesse segmento. “Uma coisa nós aprendemos, não vamos criar a roda porque ela já foi desenvolvida, então estamos aqui para conhecer o que já vem sendo feito com o objetivo de aproximar as instituições para que possamos trocar informações, onde futuramente os nossos professores e alunos possam estar fazendo intercâmbio, agregando experiência para que possamos melhorar o trabalho dos produtores da região que atuam com a agricultura familiar”.

Atuando na área de café há mais de dez anos, o professor e Q-grader (classificador de café qualificado pelo Coffee Quality Institute – CQI), Lucas Louzada Pereira, informa que o câmpus de Venda Nova já possui uma pequena unidade de análise sensorial e laboratório de processamento, “o nosso projeto está alinhado com a estratégia de indicação geográfica dos cafés das montanhas do Espírito Santo. Como nós temos a intenção de expandir a rede do nosso instituto com a criação de um polo de excelência, estamos aqui hoje para conhecer o arranjo institucional e as possibilidades de parcerias para desenvolvimento de pesquisas”.

“O professor Lucas Louzada vem desenvolvendo em nosso câmpus, há cerca de um ano e oito meses, trabalhos sobre a qualidade do café e pós-colheita, e ele apresentou a ideia de fazermos uma visita a UFLA para conhecermos o que já vem sendo desenvolvido no país ligado a área. Nosso Instituto foi inaugurado em 2010, a nossa atuação é recente, e queremos dar continuidade ao nosso trabalho da melhor forma possível, por isso precisamos conhecer o que já vem sendo feito com qualidade”, explica a Diretora de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão do IFES, Adriane Moreira.

Estreitar relacionamento com outras instituições e ampliar a atuação de estudantes e professores na área de café é algo que irá contribuir e gerar resultados cada vez melhores para a cafeicultura em todo o país, afirma Rosemary.

Texto e Foto: Vanessa Trevisan (ASCOM InovaCafé)