Startup firma parceria com Associação Comunitária para promover coleta seletiva de resíduos em repúblicas

A LOCS foi criada durante a segunda edição do Programa StartUp CIM e está em fase de desenvolvimento durante dois meses no Centro de Inteligência em Mercados (CIM)

Equipes reunidas firmando parceriaA UFLA está em constate crescimento, tanto em sua estrutura física quanto em número de alunos – consequentemente, o consumo no município de Lavras aumentou, assim como o volume de resíduos. Pensando nisso, uma equipe formada por estudantes de graduação da UFLA decidiram criar a LOCS, com o objetivo de prestar um serviço de logística em coleta seletiva visando atingir as repúblicas da cidade.

“As parcerias com a Associação e Conselho de Repúblicas foram vitais para a realização e validação do projeto. As repúblicas que participam e as que tiverem interesse em participar estarão estreitando os seus laços com a comunidade lavrense e receberão incentivos financeiros como descontos em eventos e no comércio. A empresa Verde Campo foi também uma grande parceira, que doou recipientes para serem distribuídos entre as repúblicas, utensilio que servirá para facilitar a separação dos resíduos”, explicou o estudante do curso de graduação em Engenharia Ambiental e Sanitária Heitor Parreiras, idealizador do projeto.

Para viabilizar a execução do projeto, foi firmada uma parceria com a Associação Comunitária dos Bairros Jardim da Glória e Jardim Campestre I, II e III (ACBJGC), que irá operacionalizar a coleta. Isso gerará receitas que vão contribuir com a execução de serviços sociais realizados pela Associação, tais como a reabilitação e ressocialização de pessoas intolerantes ao uso de álcool.

A primeira coleta foi realizada no dia 19 de outubro. Inicialmente 16 repúblicas integrantes do Conselho de Repúblicas serão atendidas para testar e aprimorar a atuação da startup LOCS. A Associação fará também a coleta seletiva do óleo usado nas repúblicas. Esse material, que seria descartado de forma incorreta, se tornará insumo para a produção de sabão através do trabalho dos voluntários do Grupo de Apoio as Pessoas Intolerantes ao Uso e Abuso do Álcool (GRAPIA).

“A proposta é sensacional e une um trabalho ambiental com as repúblicas, apresentando um modelo de negócios inovador. Estamos realizando um trabalho único e pioneiro no município com esse público. A startup apresentou uma proposta efetiva que poderá ser replicada em diversas cidades universitárias”, pontuou o mentor e coordenador do Programa Starup CIM, Gustavo Palau.

Programa

O Startup CIM é promovido pelo Laboratório de Inovação Empreendedora através do Centro de Inteligência em Mercados (CIM). As cinco melhores ideias apresentadas durante a segunda edição do programa estão em fase de desenvolvimento no CIM. A terceira edição do programa está prevista para janeiro de 2016 e o processo seletivo será iniciado na primeira semana de dezembro. Saiba mais sobre o processo na página do CIM no Facebook.

Vanessa Trevisan – Jornalista – Agência de Inovação do Café (InovaCafé)
Anúncios

CIM/UFLA apresenta cenário sobre mercado agropecuário brasileiro no Projeto Campo Futuro

Anuário com os resultados de 2015 apresenta informações sobre a competitividade da agropecuária brasileira nos principais polos de produção

DSC05617

O Centro de Inteligência em Mercados (CIM) participa do Projeto Campo Futuro, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), fazendo o levantamento e acompanhamento das informações relativas à cafeicultura e fruticultura (banana, cacau, laranja, limão, maçã, mamão, manga, melão e uva). As informações geradas são reunidas trimestralmente em um boletim técnico, denominado Ativos do Campo e implementa uma rede informacional gerada pela CNA que mantém um banco de dados completos, desde o início do projeto, em 2008.

Os resultados de 2015 foram reunidos em um anuário lançado no dia 18 de novembro na sede da CNA, em Brasília/DF. O CIM participou na elaboração de três capítulos e na apresentação do anuário. Os capítulos tratam do Método de Levantamento dos Custos de Produção, e os resultados sobre a Cafeicultura e Fruticultura. Além disso são apresentados no anuário os dados sobre Cana-de-açúcar, Soja, Milho, Trigo, Arroz irrigado, Silvicultura, Aquicultura, Aves e Suínos, Pecuária de Leite e Pecuária de Corte.

“Por meio do Projeto Campo Futuro, a CNA intensifica as discussões sobre políticas públicas para o agronegócio brasileiro. Os levantamentos de custos de produção geram informações estratégicas para os produtores rurais e permitem que as tomadas de decisão no campo sejam mais fundamentadas, levando melhorias na coordenação das cadeias agroindustriais, contribuindo para o aumento da rentabilidade dos negócios rurais por meio de adequações de custos, aumento da eficiência produtiva e elevação da receita, além de mitigar riscos”, explica o coordenador de pesquisas e serviços em gestão do CIM/UFLA, Diego Humberto de Oliveira.

Projeto

O Campo Futuro é um projeto realizado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) em parceria com universidades e centros de pesquisa, além das Federações de Agricultura e Pecuária. O projeto alia a capacitação do produtor rural à geração de informação para a administração de custos, riscos de preços e gerenciamento da produção. Em 2015, foram realizados 127 painéis, em 14 estados e 59 municípios.

Vanessa Trevisan – jornalista – Agência de Inovação do Café (InovaCafé)

UFLA promove I Workshop de Sustentabilidade na Produção de Cafés Naturais

Evento foi organizado pelo Núcleo de Estudos em Pós-colheita do Café (Pós-Café) e Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumo de Café (QI Café), com apoio da Agência de Inovação do Café (InovaCafé)

Apresentar o cenário sobre a produção dos cafés especiais naturais no Brasil e no mundo foi a proposta do I Workshop de Sustentabilidade na Produção de Cafés Naturais, que começou nessa terça-feira e foi encerrado hoje (26). O evento foi realizado durante I Congresso Mineiro de Engenharia e Tecnologia da UFLA, com a participação de cerca de 150 pessoas (alunos, professores e profissionais do setor cafeeiro).

“O que motivou o tema foi principalmente porque o Brasil é o maior produtor de café do mundo e especialmente de cafés naturais. A sustentabilidade é importantíssima porque se trata não apenas de questões ambientais ou ligadas apenas ao setor produtivo, mas de todos os setores do agronegócio café, da cultura até o consumo, envolvendo as ações sociais, trabalhistas, bem-estar, questões econômicas e ambientais. E, para que a gente possa discutir sobre isso, estamos no ambiente universitário onde nós temos formadores de opinião que cuidarão do futuro da cafeicultura no nosso país”, explicou a professora tutora do Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumo de Café, Rosemary Gualberto Fonseca Alvarenga Pereira.

“É muito prazeroso estar organizando este evento e discutindo um assunto tão atual e importante, que é a sustentabilidade focando nessa área que gostamos muito que é o café. Vamos apresentar palestras que pautam a sustentabilidade relacionada a produção, mercado e tendências do café natural no Brasil e no Mundo, colheita mecanizada, tecnologia de pós-colheita e demais assuntos que serão abordados dentro do evento”, pontuou o Coordenador Geral do Núcleo de Estudos em Pós-Colheita do Café, discente de graduação em Engenharia Agrícola, Felipe Mesquita de Miranda.

Os professores participantes também apresentaram as razões de se abordar a produção de cafés naturais: “No Brasil, há muitos eventos sobre café, mas era necessário termos um focado em cafés naturais, que precisam ser entendidos de uma maneira melhor. E o mundo vem descobrindo cada vez mais isso que nós temos”, comentou o professor Flávio Meira Borém, tutor do PósCafé.

O pró-reitor de Extensão da UFLA, professor José Roberto Pereira, ressaltou a importância da realização do evento levando em consideração o empenho dos núcleos de pesquisa: “Essa configuração institucional de núcleos de estudos e Agência de Inovação do Café é algo extremamente produtivo para a construção do conhecimento e difusão da cafeicultura. A organização desse evento certamente vai trazer a difusão do conhecimento necessário para os membros da academia, sociedade e mercado”.

A palestra de abertura apresentou uma reflexão sobre os pilares da sustentabilidade aplicados aos cafés naturais no Brasil e no mundo, incluindo as principais certificadoras, e foi ministrada pela diretora executiva da Associação Brasileira de Cafés Especiais, Vanusia Maria Carneiro Nogueira, especialista em Gestão e Marketing, doutoranda em Marketing com foco em posicionamento competitivo.

“Vivemos desse produto, temos paixão por esse produto. Entre oito e nove milhões de pessoas desse País vivem ou sobrevivem do café. O primeiro ponto de reflexão que eu gostaria de apresentar para vocês é sobre a definição de sustentabilidade – uma característica ou condição de processo ou de um sistema que permite a sua permanência em certo nível por um determinado prazo; ou seja, é muito importante falarmos sobre um certo nível, pois a sustentabilidade não quer dizer estado da arte em tudo, não quer dizer perenidade Estamos falando sobre condições que estamos estabelecendo para ter um certo nível de controle por um determinado prazo de tempo. E questiono vocês, o que estamos fazendo com o nosso planeta?” – com essa explanação Vanusia conduziu a palestra.

Vanessa Trevisan e Camila Caetano – jornalistas da InovaCafé e Ascom/UFLA

QICafé promove curso para estudantes de Agronomia da UNINCOR

12299745_921231827964787_410998776_o

Membros do Núcleo de Estudos em Qualidade Industrialização e Consumo de Café (QICafé) ministraram o curso de “Noções Básicas de Classificação e Degustação de Café” para estudantes do oitavo período do curso de agronomia da UninCor, da cidade de Três Corações. O curso aconteceu no sábado (21) no Pólo de Tecnologia em Qualidade do Café, na Agência de Inovação do Café (InovaCafé), na Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Foram abordados assuntos relacionados à classificação física por tipo e granulométrica de cafés e degustação de café. “O curso para os alunos da Unincor foi importante para fortalecer nossas parcerias externas à Universidade e também para colocarmos em prática os conhecimentos em qualidade de café que são gerados nos estudos do núcleo, principalmente para os membros mais novos”, comenta doutoranda em Ciências dos Alimentos e membro do QICafé, Larissa de Oliveira Fassio.

O coordenador e professor do curso de Agronomia da Unincor, Ramiro Machado Rezende, agradeceu ao QICafé “pela oportunidade que nos deram de dar um excelente curso como este, e em nome da Unincor mostrar como estamos agradecidos e o tanto que esse curso vai ser importante na vida profissional dos nossos estudantes, futuros Engenheiros Agrônomos”.

Texto: Denis Henrique Nadaleti e Marina Botelho – Rede Social do Café  Foto: Denis Henrique Nadaleti

Coordenadores de Projetos e Pesquisas do Centro de Inteligência em Mercados CIM/UFLA apresentam resultados no Seminário Nacional do Projeto Campo Futuro 2015

CIM participa ativamente do projeto Campo Futuro da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA)

Foi realizado na última quarta-feira (18/11), em Brasília, o Seminário Nacional do Projeto Campo Futuro 2015. Na oportunidade o coordenador de projetos do Centro de Inteligência em Mercados (CIM) da UFLA, Fabrício Teixeira Andrade, apresentou dados sobre a cafeicultura no Brasil, e o coordenador de pesquisas e serviços em gestão do CIM, Diego Humberto de Oliveira, apresentou dados sobre custos de produção da fruticultura.

“No Seminário, apresentamos os resultados econômicos e agronômicos referentes ao levantamento de custos de produção da cafeicultura nos Estados de Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Paraná, Bahia e Rondônia. No Brasil, a cafeicultura é representativa para o saldo positivo da balança comercial e para a geração de empregos, principalmente os diretos, os quais contribuem significativamente para a fixação do trabalhador no meio rural”, explica Andrade.

Desde 2008, o Projeto Campo Futuro da CNA promoveu 117 painéis de levantamento de custos de produção, sendo 78 painéis sobre cafeicultura, em 6 estados brasileiros, e 39 painéis sobre fruticultura, em 11 estados. Para a cafeicultura, o projeto levantou os dados econômicos e agronômicos dos sistemas de produção das espécies Coffea arabica e Coffea canephora, e para a fruticultura, o projeto levantou dados sobre as culturas da banana, cacau, laranja, limão, maçã, mamão, manga, melão, e uva.

“O principal objetivo do Campo Futuro é levantar as características das propriedades modais nas regiões estudadas, gerando informações que retratem a competitividade da cafeicultura e fruticultura em importantes regiões produtoras do Brasil. A partir das informações levantadas e analisadas, gera-se subsidio para a formulação de políticas públicas que atendem as demandas do setor e, também, para melhorar a gestão de custos e riscos do produtores”, apontou Oliveira.

PROCESSO DE COLETA DE DADOS

O método de levantamento de custos de produção no Programa Campo Futuro é definido como painel. Ele se configura como uma reunião técnica in loco para discussão com agentes do agronegócio em estudo, em determinada região, na qual os participantes caracterizam a unidade produtiva modal (típica) da região, indicando os coeficientes técnicos e os vetores de preço que compõem o pacote tecnológico. Os dados são formalizados em uma planilha previamente estruturada, desenvolvida pelo CIM, e preenchida pelos pesquisadores após o consenso de opiniões instaurado entre os presentes. A implementação das matrizes de custos é acompanhada por todos durante o painel

(Fonte: Centro de Inteligência em Mercados (CIM)).

InovaCafé é reconhecida pelo apoio a Semana Internacional do Café

sebrae_semanadocafe_620Realizada no mês de setembro de 2015, a Semana Internacional do Café reuniu em Belo Horizonte milhares de profissionais de todo mundo e conquistou o recorde de visitação com 13 mil pessoas e R$ 25 milhões de negócios iniciados.

O encontro é uma das principais ações de promoção do café brasileiro realizado no estado de Minas Gerais e tem como foco desenvolver o mercado brasileiro e divulgar a qualidade dos cafés nacionais para o mercado interno e para os países compradores, além de potencializar ao máximo o resultado econômico e social do setor.

Durantes os três dias de realização foram promovidos 26 eventos simultâneos, 360 horas de conteúdo, 150 marcas de 23 países e 22 estados brasileiros estiveram expostas durante o evento, mais de 120 amostras de café foram recebidas para a Sala de Cupping & Negócios.

“Transmitimos os nossos mais sinceros agradecimentos pelo apoio da InovaCafé e participação nesse evento que projeta o café nacional para o mundo. Graças ao seu empenho, a Semana pode proporcionar a geração de negócio, conhecimento e empreendedorismo por meio dos diversos eventos simultâneos que atraíram profissionais do exterior e do Brasil que atuam em todas as etapas da cadeia do café, desde a produção até o consumo final”, ressaltou o diretor de planejamento da Café Editora, Caio Alonso Fontes.

A Semana Internacional do Café é promovida pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (FAEMG), pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), pela Café Editora e pelo Governo do estado de Minas Gerais por meio da Secretaria de Estado de Agricultura e conta com o apoio das principais entidades setoriais do mercado.

 

InovaCafé recebe visita de candidato à reeleição para reitoria da UFLA

O professor José Roberto Soares Scolforo e a professora Édila Vilela De Resende Von Pinho candidatos à reeleição para o próximo quadriênio 2016 a 2019 para reitoria da Universidade Federal de Lavras (UFLA), visitaram a Agência de Inovação do Café para apresentar plano de trabalho que move a campanha “Com a força do conjunto podemos mais”.

A visita foi realizada nesta terça-feira (17/11) e contou com a participação dos núcleos de estudos que possuem sede na agência. Algumas ações estratégias que fazem parte do plano de trabalho foram apresentadas pelos candidatos.

Durante a visita o professor se reuniu no pátio da agência com os estudantes e professores e falou sobre um dos projetos, que é dobrar o número de entrada de alunos na Pós-Graduação. “Queremos em quatro anos dobrar o número de alunos na pós-graduação, sabemos que os estudantes da pós-graduação acabam gerando mais conhecimento, mais tecnologia e mais inovação. O estado de Minas Gerais, que nós pensamos que é tão desenvolvido, não é um estado gerador de tecnologia pós-commodities, nós geramos muita tecnologia até as commodities. Se nós tirarmos o minério de ferro e o café, o estado de Minas Gerais cai para a 21º economia do país. Isso significa que nós somos craques em gerar tecnologia, ter as commodities, mas não geramos tecnologia pós-commodities”, pontou Scolforo.

Na ocasião foi citada como uma grande oportunidade para avançar na geração de tecnologia pós-commodities a utilização do Parque Científico e Tecnológico de Lavras (Lavrastec), “quem sabe desse grupo de pessoas que fazem a InovaCafé, não surjam possibilidades para vocês habitarem o parque. Nós produzimos o café e quem ganha dinheiro são os suíços, os italianos, os alemães, porque eles pegam tudo que a gente produz e transformam isso em uma “nova” fórmula e nós compramos e ainda ficamos orgulhosos de comprar o produto que foi criado em cima do que desenvolvemos, porém o lucro fica com os outros países, nós não poderíamos ficar orgulhosos de comprar algo que nós mesmos desenvolvemos? Gerando mais emprego de qualidade, mais imposto para a nossa região, e daí chegar em casa e mostrar para o pai e para a mãe, que você participou do desenvolvimento do produto que vocês estão utilizando em casa”, elucida o reitor.

Explicando para os estudantes que o voto deles é de fundamental importância, Scolforo pediu que eles tivessem garra, envolvimento, comprometimento, amor a UFLA, amor a causa agrária, “estamos trabalhando para que haja uma integração muito forte das engenharias com a área agrária, pois é a área que tem grande expertise na Universidade e dessa forma as engenharias crescem mais e ao mesmo tempo permitem a abertura de novas linhas de pesquisa para nós que militamos no mundo agrário e essa é uma maneira de fortalecer a instituição”.

Tendo como pilar estratégico de sua campanha o aumento de estudantes de pós-graduação dentro da instituição o atual reitor disse: “esse é o projeto que queremos desenvolver na UFLA, não é apenas construir a Universidade, mas que a Universidade fique marcada como espaço que gera tecnologia até a commodities, que isso a gente já faz muito bem, mas vamos dar um passo muito importante diante a tecnologia pós-commodities e para isso vamos democratizar ainda mais o acesso a pós-graduação sem nenhuma perda de qualidade, isso vai ser crucial, pois é o estudante de pós-graduação que empurra toda a lógica de geração de conhecimento, tecnologia e inovação”.

O assessor de inovação e empreendedorismo da UFLA e diretor da InovaCafé, Luiz Gonzaga de Castro Júnior, reforçou a importância da evolução na geração de tecnologia pós-commodities e apresentou demandas da agência para seu crescimento.

CONSULTA À COMUNIDADE

Na próxima quinta-feira, dia 26 de novembro, será realizada a Consulta à Comunidade das 8hrs às 23hrs. O site oficial com as informações sobre o processo pode ser acessado através do link: http://www.consultacomunidade2015.ufla.br/

Vencedores do II Programa StartUp CIM/UFLA participam do Seminário Acelera Startups e Acelera Educação Sul de Minas em Varginha

Equipe também ganhou passeio aéreo na cidade de Lavras concedido pelo Aeroclube

A equipe da startup Fruit Packed vencedora do II Programa StartUp Acadêmico CIM promovido pelo Laboratório de Inovação Empreendedora através do Centro de Inteligência em Mercado (CIM) da Universidade Federal de Lavras (UFLA), participou do Seminário Acelera Startups e Acelera Educação Sul de Minas realizado no município de Varginha pelo Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas (Sebrae) e demais parceiros do estado de Minas Gerais.

Durante o evento foram apresentados painéis com casos de sucesso e palestras de Raoni Pereira e Rodrigo Cartacho sobre os temas: “Hackeando o Empreendedorismo do Futuro” e “Empreendedorismo Sympla e Startups – Lições Aprendidas” e também foi promovido o Acelera Educação, que abrange o Encontro dos Agentes de Desenvolvimento e Secretarias de Educação, onde foram apresentadas palestras sobre Liderança Empreendedora, com Cláudio Forner, e Educação e Empreendedorismo, com Stéfano Gazzola, além de painéis com cases de sucesso e a Mostra Empresarial da Escola de Formação Gerencial (EFG), que foi aberta à comunidade. O evento disseminou a cultura do empreendedorismo entre educadores e fortaleceu o sistema de startups, estimulando atitudes empreendedoras como instrumento de transformação.

A equipe da startup Fruit Packed venceu a apresentação do pitch final e recebeu como premiação um passeio aéreo na cidade de Lavras e a viagem à Missão Empresarial Acelera Startup. O passeio foi realizado no dia 08 de novembro e os participantes ficaram empolgados com o passeio. Para um dos integrantes da equipe vencedora, Herivelton Soares, “foi incrível sobrevoar a cidade, algo bem diferente de viajar num avião comercial. De fato é emocionante. Demos muitas risadas e passamos por alguns momentos de susto com as manobras. Além de voar, conhecemos a história e a estrutura do Aeroclube de Lavras. Participar do Startup CIM e agora do Acelera StartUP gerou uma mentalidade mais inovadora e empreendedora, fazendo com que o nosso grupo saia da “caixa” da mesmice e do usual. Recomendo essa experiência pela renovação do pensamento em todos os níveis, do pessoal até o profissional”.

O coordenador do CIM e diretor da Agência de Inovação do Café (InovaCafé), Luiz Gonzaga de Castro Júnior avaliou a participação dos alunos no evento “como uma grande oportunidade para que eles adotem a inovação e o empreendedorismo em suas vidas e carreiras”.

“A iniciativa vem fomentar o empreendedorismo entre os estudantes da Universidade, fornecendo capacitação para que as suas ideias se tornem realidade, tudo isso é praticado dentro do Laboratório de Inovação Empreendedora”, afirma o coordenador do Laboratório e do Programa StartUp, Gustavo Palau Braga.

A STARTUP

A Fruit Packed é uma startup que oferece frutas e hortaliças processadas e prontas para o consumo através de um sistema de embalagens retornáveis. O produto tem foco no pequeno produtor da região e aplica o conceito de economia e sustentabilidade com os descontos no ato do retorno da embalagem do produto.

StartUp CIM

A segunda edição do Laboratório de Inovação Empreendedora, teve seu início no dia 25 de agosto de 2015, o qual é promovido pelo Centro de Inteligência em Mercado (CIM) da UFLA, através do Startup CIM, órgão responsável pelo empreendedorismo no Centro de Inteligência. Após o processo seletivo, os participantes montaram equipes que desenvolveram suas ideias com essência inovadora, utilizando ferramentas como o Canvas para modelar seu negócio e outras diversas técnicas de validação, sendo mentoriados neste processo por 2 meses. Ao fim do programa, fizeram apresentações finais (pitch) que foram acompanhadas por uma banca avaliadora, a qual analisou o grau de inovação, a viabilidade, o desenvolvimento e a apresentação das equipes. As melhores ideias continuarão em processo de incubação no CIM.

 

Alunos da disciplina de Marketing participam de aula prática na InovaCafé

Café é escolhido para explicar conceito de produto para alunos de disciplina de marketing

Cerca de 35 alunos dos cursos de Ciência dos Alimentos, Administração Pública, Zootecnia, Engenharia Florestal e Sistemas de Informação da UFLA, participaram de aula prática no Polo de Tecnologia em Qualidade do Café na Agência de Inovação do Café (InovaCafé), para entender, na prática, que aspectos envolvem o desenvolvimento de um conceito de produto assim como de seu processo de preparo.

Realizada através da disciplina de marketing oferecida pelo Departamento de Administração e Economia (DAE), a aula tem como objetivo específico trabalhar o conhecimento dos alunos com relação a aspectos teóricos envolvidos no conceito de produto. O café foi o produto escolhido para o desenvolvimento do contexto teoria-prática tendo em consideração a sua relevância nacional e o trabalho que é desenvolvido na InovaCafé. “Envolver os alunos nesse processo traz uma motivação a mais para o aprendizado, amplia o conhecimento de mercado com o fato deles conhecerem a realidade do produto, além de reconhecer o trabalho desenvolvido na UFLA, sendo um grande incentivo para que eles se tornem consumidores de um bom café no futuro. A disciplina alia a relação do conhecimento teórico e a possibilidade de ver isso na prática”, explica o professor da disciplina de marketing do DAE, Luiz Henrique de Barros Vilas Boas.

Aluno do primeiro período de Sistemas de Informação, Anderson Leal, participou da aula prática e fez sua avaliação, “tive a oportunidade de conhecer alguns processos e entender um pouco sobre a história do café e como isso veio agregando valor a esse produto. É perceptível a preocupação das empresas em estar atendendo o consumidor e elas estão sempre melhorando o seu produto para conquistar novos consumidores e fidelizá-los”.

Foram apresentadas as diferentes formas de preparo do café, como o café coado tradicional, expresso feito em uma máquina profissional, semelhante a que encontramos em cafeterias e o expresso feito na máquina de cápsula que é uma opção caseira que apresenta diversos preços e qualidades diferentes e que tem sido cada vez mais utilizada nos lares brasileiros. “Os alunos terão a possibilidade de refletir como essas diferentes formas de preparo podem agregar valores diferentes ao produto e, consequentemente, caracterizam conceitos diferentes de produto, utilizando grãos diferentes, preparando de forma manual ou mais automatizada, assimilando as diferenças de um café servido em uma cafeteria para aquele que a gente consegue fazer em casa, enfim, apresentamos opções para que eles façam reflexões durante a disciplina”, explica a instrutora credenciada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) do Curso de Barista e Gestora de Inovação em Café na InovaCafé, Helga Andrade.

MARKETING

A disciplina de marketing é oferecida semestralmente e alunos de graduação de diversos cursos podem se inscrever, sendo disponibilizadas 40 vagas. “Ela é aberta para estudantes que veem a perspectiva de marketing como importante para a sua formação e atuação profissional”, explicou Vilas Boas.

Curso de Barista na InovaCafé/UFLA forma terceira turma

Vagas para turmas em 2015 já estão esgotadas; turmas para o ano que vem são agendadas

Alunos aprendem a preparar café profissionalmente
Alunos aprendem a preparar café profissionalmente

Promovido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) de Minas Gerais, em parceria com a Agência de Inovação do Café (InovaCafé) e Sindicatos Rurais, o curso de barista finalizou a sua terceira turma nessa quinta-feira (12/11).

“O curso é novo e tem o objetivo de atender todo o público interessado nessa área de conhecimento. Podem participar alunos, professores, funcionários e servidores da UFLA, assim como produtores e pessoas interessados em abrir negócio na área de café, é um curso gratuito e aberto também para toda comunidade”, pontuou a instrutora credenciada do Senar do Curso de Barista e Gestora de Inovação em Café na InovaCafé, Helga Andrade.

Com carga horária de 16 horas, o curso apresentou a influência de diferentes moagens, torras e preparos, e como esses elementos impactam na bebida. Para 2015, as vagas já estão esgotadas, mas as datas dos cursos que serão realizados em 2016 já estão sendo agendadas e os interessados em participar devem acompanhar a página da InovaCafé no Facebook (facebook.com/inovacafeufla) para ter informações sobre as inscrições.

Terceira turma formada pelo Curso de Barista
Terceira turma formada pelo Curso de Barista

“Procurei o curso para aprender um pouco mais sobre o café e as suas qualidades. Nós trabalhamos na pós-colheita com a qualidade, só que o processo só vai até o ponto da tora do café, e eu quero aprender sobre o pós-torra, conhecendo melhor o produto que vai na xícara; então, participando do curso de barista, estou conseguindo aprender um pouco mais sobre a bebida”, afirmou o vice-coordenador do Núcleo de Estudos em Pós-Colheita do Café (PósCafé) e doutorando em Engenharia Agrícola, Marcos Paulo. Outra participante, formada em hotelaria e gestão comercial, Maria Cecília Bueno do Vale, está abrindo uma cafeteria na cidade e procurou o curso para oferecer o melhor café para os seus futuros clientes.

“A nossa intenção é criar um grupo de trabalho, para que os ex-alunos do curso possam trocar informações, fazer treinamentos e reciclagens, e semanalmente a gente quer se encontrar para falar sobre café, provar café juntos e dar continuidade a esse trabalho que vai culminar com a abertura da cafeteria escola que será um ambiente que todo mundo irá tomar café de alta qualidade e irá discutir sobre esse assunto”, explica Andrade.